Qual é o Seu Santo?

Quando chega época de São João… É assim que se referem os Nordestinos as festas juninas, as mais esperadas da região; o povo se alegra, os sanfoneiros trabalham pelo ano todo dando exemplo de como sobreviver nesta época de crise. Pois é, o apurado é guardado para ser gastado durante o ano inteiro até o próximo São João.

Será que os Americanos se espelharam no sistema econômico dos sanfoneiros que fazem seu orçamento anual e distribui pelos meses? Acho que e os cirurgiões plásticos também adotam o sistema dos sanfoneiros só que o mês deles é julho, trabalham com motivação orquestrada pela musicalidade dos bons resultados esperando sempre uma boa colheita. E qual é o seu Santo? A maioria dos sanfoneiros são devotos de São João, aquele que tem a foto com o carneirinho.

Os Principais Santos Juninos para os Nordestinos São:

Santo Antônio, considerado o ‘Santo Casamenteiro’, é o primeiro homenageado do mês com suas trezenas (13 noites de reza, de 1º a 13 de junho). O ritual é realizado paralelamente em inúmeras casas e igrejas pelos devotos.

Segundo uma antiga lenda, o santo português que teria nascido em 1195 e morrido em 13 de junho de 1231  ajuda as mulheres e homens que estão “condenados” a ficar solteiros a realizar os tão sonhados casamentos.
A tradição de rezar para Antônio é passada de pai para filho ou de mãe para filha. Em cidades como Salvador, o hábito de reverenciar o santo casamenteiro que carrega nos braços o Menino Jesus ainda está presente em alguns lares. Mas no interior dos estados do Nordeste, ainda a maioria dos católicos preserva esse costume.
Os devotos que perdem a paciência acrescentam algumas simpatias ao hábito de rezar por 13 noites. A principal delas é colocar a imagem de Santo Antônio de ponta-cabeça, mergulhada em um recipiente com água, até o dia do casamento.

O segundo e principal santo católico reverenciado pelos nordestinos é São João, cuja data, 24 de junho, é feriado regional. Além das celebrações católicas, a data é comemorada a partir da noite do dia 23 com muitas festas animadas, com fogueira, fogos de artifício e forró, regadas a bebidas e comidas típicas a base de milho, como: bolos, canjica, pamonha, pé de moleque, milho assado, cozinhado e quentão que é a bebida típica a base de cachaça e cravo.

Segundo historiadores, a tradição das festas juninas que antes eram chamadas de joaninas- surgiu na Europa durante o século 14. No Brasil, de acordo com o antropólogo Roberto Albergaria, os costumes de homenagear os santos do mês de junho foram trazidos pelos portugueses e readaptados com a inserção de valores de negros e indígenas, como o boi-bumbá, a utilização da mandioca para a composição de pratos típicos e algumas danças. A tradição das fogueiras também foi trazida do continente europeu e representava o aviso a Maria do nascimento de João, filho de sua prima Isabel. Os fogos de artifício, por sua vez, representam para alguns o despertar de João.

Não menos popular que São João e Santo Antônio, São Pedro é o último a receber as homenagens durante o mês de junho. Homenageado no dia 29, o principal apóstolo de Jesus Cristo é fiel depositário de todas as esperanças de chuva para os Nordestinos. Segundo a tradição, é obrigação dos viúvos e das viúvas acender uma fogueira na porta de casa durante a noite do dia 29. O dia de São Pedro também representa o fim do principal período festivo dos municípios do interior do Nordeste.

E Qual é o Seu Santo?

  • São Lucas, protetor dos médicos
  • Santa Cecília, protetora dos músicos
  • Santo Alberto Magno, protetor dos cientistas
  • Santo Onofre, protetor do vício contra o álcool
  • Santo Urbano, padroeiro dos vinicultores
  • Santa Dose, para agnósticos e apreciadores.

Link para saber o seu Santo: https://www.koinonialivros.com.br/antigo/religioso/santododia/santos_sua_protecao.html

Deixe um Comentário